Muito se fala em investir em saúde e segurança no trabalho. Entretanto, será que o investimento é interessante do ponto de vista financeiro para a empresa ou é apenas mais um dos pontos legais que só são observados para que a empresa não seja multada?

Neste texto responderemos a essas perguntas e entenderemos quais são as principais vantagens do investimento em segurança no trabalho.

Quer melhorar o dia a dia na instituição? Então, veja agora o que pode ser feito. Boa leitura!

Qual a importância de estar atento à legislação?

Quando uma indústria quer investir na prevenção no que diz respeito à segurança do trabalho, a tarefa não é fácil. Além de entender quais são os melhores investimentos a serem realizados, a instituição precisa considerar a produtividade e agilidade na execução dos processos.

Quando os métodos de gestão são bem escolhidos para obedecer à legislação, as melhores práticas são colocadas em uso, proporcionando que o desempenho da instituição se torne adequado para que os processos sejam ainda mais otimizados.

Assim, a empresa se afasta da possibilidade de ser multada. Além disso, se evita o pagamento de indenizações, ou mesmo, a contratação de funcionários temporários quando acidentes evitáveis acontecem.

Ou seja, a legislação não é apenas uma regra chata que precisa ser obedecida. Ao contrário, ela é um guia para que sua instituição proporcione um ambiente mais agradável e seguro para os colaboradores.

Quais são as principais vantagens?

Você sabe quais são as principais vantagens que a empresa pode ter obedecendo às normas da legislação e investindo em segurança do trabalho? Confira agora mesmo!

1. Prevenção de acidentes

Quando uma empresa investe em segurança e saúde ocupacional, ela está prevenindo uma série de situações que poderiam fazer com que a integridade mental e física dos trabalhadores fosse ameaçada. Com ações concretas para diminuir riscos e melhorar a saúde dos colaboradores, o perigo de que eles tenham doenças ocupacionais e acidentes laborais é reduzido.

Dessa forma, as empresas também contam com várias vantagens, já que o ambiente empresarial será mais propício para a plena produtividade, afastando os acidentes de trabalho e doenças ocupacionais, que estão intimamente conectados à taxa de absenteísmo e, dessa forma, a contratação de profissionais temporários.

2. Redução de custos

Muitas empresas pensam que investir em segurança e saúde ocupacional tem alto custo. Entretanto, a análise deve ser feita pensando em um período maior. É uma visão equivocada considerar apenas os custos com mudanças de processos e maquinários. Nessa visão, a estratégia traz resultados positivos em médio e longo prazo.

Para começar, é possível que alguns EPIs não precisem ser utilizados obrigatoriamente, eliminando o custo. Além disso, também pode acontecer a eliminação do ambiente insalubre. Dessa forma, a instituição não precisará arcar com o adicional.

Também se pode fazer com que o acesso ao ambiente periculoso seja permitido apenas para alguns profissionais, o que reduzirá o valor a ser pago de adicional de periculosidade.

Pense em uma certa empresa que trabalha em ambiente com ruído acima de 85 decibéis. Nesse caso, todos os colaboradores precisam usar protetores auriculares. Caso as máquinas sejam trocadas por outras que emitem menor barulho, o custo com EPIs será menor. Dependendo da situação, o pagamento de adicional também poderá ser dispensado.

Outro exemplo pode ser o não controle do armazenamento de itens inflamáveis. Caso sejam realizadas melhorias no processo da fábrica, como o desenvolvimento de um depósito com controle de acesso para esse fim, apenas o grupo que entra nesse local receberá o adicional de periculosidade.

Caso os acidentes sejam reduzidos, a instituição terá um Fator Acidentário de Prevenção (FAP) menor, impactando no percentual de Riscos Ambientais de Trabalho (RAT) que deverá ser pago de acordo com a Lei Orgânica de Seguridade Social.

3. Aumento da motivação da equipe

A motivação dos colaboradores não depende apenas da remuneração recebida. Como eles buscam por qualidade de vida, é importante construir um ambiente saudável para que todos possam exercitar suas tarefas e produzir o máximo possível.

Quando um profissional tem temores relacionados à segurança ou saúde, a tendência é de que sua produtividade caia e que ele tenha maiores chances de ter descuidos em procedimentos de segurança, o que poderia gerar afastamentos, lesões e, até mesmo, acidentes.

Para deixá-los satisfeitos, investir na segurança e saúde ocupacional é um fator importante. Dessa forma, o dia a dia será mais agradável e incentivará que as relações entre as pessoas aconteçam da melhor forma possível.

Como consequência, os profissionais terão orgulho em vestir a camisa de uma empresa que se preocupa com a vida deles. Ou seja, o vínculo se torna maior, deixa o clima da instituição mais amigável e descontraído.

4. Melhora na imagem corporativa

Quando a empresa demonstra se preocupar com a saúde dos funcionários, isso não fica apenas entre os colaboradores. A imagem da marca começa a ser reconhecida e vinculada à saúde e perfeição em seus processos. Com isso, a chance de que a empresa conquiste mais clientes e agregue valor à marca cresce.

Além disso, os empreendedores devem saber sobre outros processos e programas que zelam pela segurança dos empregados. O Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas (eSocial), por exemplo, é um projeto federal para unificar e simplificar o envio de informações dos empregados pela empresa.

Como o sistema conta com acesso aos dados de saúde do trabalhador, o processo de fiscalização fica mais eficaz e rígido, aumentando a segurança para o trabalhador.

Agora que você sabe quanto a saúde e segurança no trabalho são importantes para o ambiente de corporativo, é hora de pensar nas melhores formas para conseguir aumentar a motivação dos colaboradores e melhorar a produtividade deles.

Ao utilizar plataformas online (em nuvem) por exemplo, é possível acompanhar todos os processos do funcionário na empresa, entendendo quais são os profissionais que mais pedem afastamento e, desse moto, evitar o absentismo. Assim, fica mais fácil agir pro ativamente e evitar que a taxa cresça.