Carregando...
Preencha a solicitação de proposta // Orçamento sem compromisso
1

Blog!

Aqui você encontra conteúdos
relevantes e gratuitos ;)

Algumas dúvidas e mitos surgem quando o assunto é amamentação. Conheça algumas questões frequentes sobre o tema:

É proibido amamentar em público?

Não. Em nenhum local do Brasil a amamentação em público é crime, portanto, a prática não deve ser proibida ou recriminada.

Apesar de pertencer a um processo natural da maternidade, a amamentação quando é realizada em lugares públicos divide opiniões, muitas vezes sendo bastante criticada.

Contudo, amamentar é um direito da mulher e do bebê. A decisão de amamentar em público ou não cabe somente a mulher.

Para que isso seja possível, a mulher precisa se sentir confortável e segura, pois é uma necessidade da criança a amamentação.

Pode ser útil para as mães que se sentem desconfortáveis com a exposição o uso de mantas ou toalhas para cobrir o colo, garantido um pouco mais de privacidade. Para as pessoas em volta, resta o respeito pelo momento e empatia.

Existe um tempo ideal para cada amamentação?

Não, o tempo de uma mamada quem faz é o próprio bebê. Ele deve mamar até ficar satisfeito. É importante perceber se ela está ingerindo o leite que contém mais gordura, pois é este que o deixará saciado.

Os sinais de que o bebê está satisfeito são dados espontaneamente, quando por exemplo ele solta a mama ou acaba adormecendo no colo da mãe.

A lactante deve oferecer os dois seios para o bebê durante a mamada?

Não existe uma regra. Enquanto a mãe está amamentando ela perceberá quando o bebê está satisfeito e assim parar ou, se notar que ainda não está saciado, trocar para outra mama. É um processo natural e vai sendo moldado aos poucos.

Mulheres com leite excedente podem amamentar outros bebês?

Não, essa prática não é recomendada. Essa amamentação chamada de amamentação cruzada é considerada um risco para a saúde dos bebês e das mulheres, pois muitos microorganismo podem ser transmitidos, inclusive o HIV.

A opção mais saudável para as mulheres que produzem muito leite é a doação para Bancos de Leite Humano. Além de ser um procedimento seguro, este gesto ajudará a salvar outras vidas.

Existe leite fraco?

Não. Esse é um mito sobre o aleitamento materno. Pode acontecer, durante a transição do leite, que as mulheres desconfiem de que ele tenha mudado ou que esteja mais fraco, devido a sua aparência mais esbranquiçada.

Isso é normal e não significa que o leite é menos nutritivo. Até mesmo mulheres desnutridas são capazes de produzir um bom leite materno com tudo que o bebê precisa.

As mamadas devem ser feitas com horário marcado?

Não é necessário tornar esse processo tão rigoroso. O recomendado é que sejam feitas mamadas frequentes, sem horário e duração pré-estabelecida. O bebê deve mamar até se sentir saciado e sempre que demonstrar sinais de fome.

O que fazer quando ocorre o ingurgitamento?

O ingurgitamento é quando as mamas da mãe ficam mais endurecidas, devido a produção excedente de leite. Quando isso acontece, as lactantes podem fazer massagens em movimento circular nas mamas e após essa massagem colocar o bebê para mamar.

Se estiver muito cheia, a mulher pode retirar um pouquinho do leite antes de amamentar. Isso ajuda para que a aréola fique macia e o bebê tenha mais facilidade para mamar.

Se mesmo após dar de mamar para o bebê as mamas continuarem cheias, é recomendado que a mulher faça a ordenha e armazene o leite, que pode ser doado.


O leite materno é fundamental para a saúde dos bebês e para as mães. Também é fundamental que o aleitamento materno seja incentivado e promovido.

A Semana Mundial da Amamentação e o Agosto Dourado existem para que isso aconteça e para que mais crianças sejam beneficiadas por esse alimento de ouro. Obrigada pela leitura!