DEZEMBRO VERMELHO- ALERTA PARA PREVENÇÃO DA AIDS E ISTS!

Curta e compartilhe essa publicação

O mês de dezembro marca uma grande mobilização nacional sobre prevenção ao vírus HIV, AIDS e outras IST (infecções sexualmente transmissíveis).
O Dezembro Vermelho nasceu a partir da Lei 13.504, publicada no Diário Oficial no início de novembro, e dá sequência às ações do Dia Mundial contra a Aids, celebrando desde 1988 no mundo todo em 1º de dezembro.

Assim como acontece com as demais campanhas do mês, de cor, o Dezembro Vermelho tem como objetivo chamar atenção para as medidas de prevenção, assistência e proteção e promoção dos direitos das pessoas infectadas com o HIV. Entre as ações programadas pelo Governo do Estado de São Paulo, estão rodas de conversa sobre o HIV com especialistas que irão orientar e esclarecer dúvidas da população sobre os métodos de prevenção e tratamento.

Afinal, o que é HIV?

O HIV é um vírus, ou, mais especificamente, um retrovírus que infecta as células de defesa do organismo. Se não for tratada, pode fazer com que o paciente manifeste a Síndrome da Imunodeficiência Adquirida, a Aids.

É considerada uma IST, ou Infecção Sexualmente Transmissível, pois uma de suas vias de transmissão se dá através do sexo desprotegido com pessoas contaminadas. Contudo, a doença também possui outras formas de transmissão, como transfusão de sangue ou o compartilhamento de agulhas.

Ainda não há cura para a infecção por HIV, mas o tratamento ajuda o paciente a levar uma vida normal e até mesmo a ter uma expectativa de vida próxima à de pessoas que não foram contaminadas.

A doença só foi descoberta em 1981 e os cientistas especulam que ela tenha surgido primeiramente nos chimpanzés e depois começou a infectar os seres humanos.

Segundo a Dra. Mônica, o vírus do HIV é derivado do vírus da imunodeficiência símia, também conhecido como SIV, que acomete principalmente os chimpanzés.

“Existem algumas evidências históricas de momentos em que determinadas populações africanas passavam por períodos de guerra civil e, com isso, iam morar nas florestas. Para sobreviver, matavam os macacos para comer a sua carne. Nesse momento, acabavam entrando em contato com sangue infectado”, explica.

Esse contato do sangue do ser humano com o sangue do macaco promoveu uma possibilidade de evolução e adaptação do SIV no ser humano.”

HIV e Aids: qual a diferença?

Muitas pessoas se confundem e acham que o HIV e a Aids são a mesma coisa.

Dizemos que um paciente é soropositivo quando ele foi infectado pelo HIV. A Aids, por outro lado, acontece quando a pessoa infectada pelo HIV tem o seu sistema imunológico danificado pela ação do vírus, ou seja, quando a Síndrome da Imunodeficiência Adquirida se manifesta.

Quando o vírus HIV entra em ação, o sistema imunológico fica comprometido e não luta contra os invasores causadores de doenças de maneira eficaz. Dessa forma, o paciente fica mais suscetível mesmo às infecções mais simples e suas complicações.

Isso faz com que, para um paciente com Aids, uma pneumonia possa se transformar em uma infecção grave que o faça correr risco de morte.

(Fonte: minutosaudavel.com.br)


Curta e compartilhe essa publicação
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *