Maio Amarelo: Exame Toxicológico

Curta e compartilhe essa publicação

Desde setembro de 2017 está em vigor a portaria do Ministério do Trabalho que exige que o exame toxicológico seja realizado antes da admissão e no desligamento dos motoristas.

O objetivo é reforçar o combate ao uso de drogas nas rodovias e proteger o trabalhador do excesso de jornadas, levando mais segurança para as estradas. Os exames devem ser custeados pelas empresas. A regra vale para motoristas profissionais de veículos de pequeno e médio porte, de ônibus urbano, metropolitano e rodoviário e de cargas em geral.

A empresa que não declarar as informações exigidas no Cadastro Geral de Empregadores e Desempregados (Caged) fica inadimplente com o Ministério do Trabalho e poderá sofrer multas previstas em lei.

A janela de detecção do exame identifica o consumo de drogas feitos nos últimos 90 dias antes da coleta. O exame toxicológico não requer nenhuma preparação do motorista, basta ele se apresentar em um laboratório credenciado e fazer a coleta de amostras de queratina para o exame, que podem ser:

  • Cabelo com 3,8 cm de comprimento ou mais;
  • Pelos da perna, braço, axilas, peito ou pubianos;
  • Raspas de unhas, nestes caso somente quando nenhuma das outras opção for possível.

O exame toxicológico detecta drogas ilícitas e com efeitos psicoativos. Entende-se que esse tipo de substância quando consumidas ou quando se é feito o uso frequente tem consequências sérias para a saúde do condutor, mas também tem influência sob o trabalho dos motoristas profissionais.


Curta e compartilhe essa publicação
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *