No ambiente laboral existem dois tipos de agravos que devem ser bem conhecidos e diferenciados: doenças do trabalho e doenças profissionais. As abordagens preventivas, assim como os procedimentos quando de sua ocorrência diferem em cada tipo.

Por serem afetos diretamente ao setor de saúde e segurança do trabalho, precisam de toda a atenção da empresa para que haja uma abordagem adequada à sua prevenção. Afinal, prevenir a ocorrência de doenças no ambiente da organização é um componente essencial para caracterizar uma boa gestão.

Quais as diferenças entre doença do trabalho e doença profissional?

A melhor maneira de conhecer as diferenças é entender o que é cada uma dessas ocorrências. Além disso, existem também aspectos legais envolvidos com a diferenciação entre elas.

Doença do trabalho

As doenças do trabalho é um agravo que resulta do ambiente laboral onde a atividade do colaborador é desenvolvida. De modo geral, esse tipo ocorre em razão da inadequação do local de trabalho para a atividade ou ainda pela insuficiência de proteção oferecida ao trabalhador.

Um exemplo comum é o desenvolvimento de distúrbios da audição resultantes do fato de se trabalhar em um ambiente muito ruidoso. Nesse caso, o colaborador pode ter uma atividade administrativa, sem relação com a geração de ruído, mas ser afetado por ele.

Doença profissional

A doença profissional, também referida como doença ocupacional é a que se desenvolve em razão direta da atividade praticada. Isso significa que é o tipo de trabalho executada que produz a doença, de modo diferente da anterior, na qual o ambiente era o responsável.

Um exemplo bem conhecido são as doenças resultantes de atividades que requerem movimentos repetitivos ao longo de todo o dia. Assim, por exemplo, é considerada um doença ocupacional o Distúrbio Osteomuscular Relacionado ao Trabalho, conhecido pela sigla DORT.

Principais diferenças

As doenças profissionais é claramente reconhecida pela Previdência Social. Além disso, tendem a ser incapacitantes ao longo do tempo e, por essa razão, podem dar origem à aposentadoria por invalidez e até aposentadoria especial.

Por sua vez, a doença do trabalho por não apresentar um agente causador comum não é facilmente reconhecida pela Previdência Social. É de se considerar ainda, que a doença do trabalho, na maior parte dos casos, pode ser tratada e resolvida.

De todo modo, ambas asseguram ao trabalhador o direito ao seguro contra acidente do trabalho, quando pertinente. Do mesmo modo, podem suscitar o pleito ao adicional por insalubridade.

Quais as doenças mais comuns relacionadas ao ambiente laboral?

Entre as doenças mais comumente verificadas entre os colaboradores e relacionadas ao trabalho, podem ser destacadas:

Doenças do trabalho

  • deficiência auditiva (surdez) temporária ou definitiva;
  • cefaleia (dor de cabeça);
  • algumas doenças respiratórias;
  • conjuntivite;
  • hipertensão;
  • COVID-19.

Doenças profissionais

  • LER (Lesão por Esforço Repetitivo);
  • DORT;
  • neoplasias;
  • lesões no ombro;
  • lesões no joelho;
  • hérnias;
  • varizes;
  • depressão.

Como MedNet ajuda as empresas se prevenirem dessas doenças?

A primeira iniciativa a ser tomada é a identificação dos riscos existentes nos ambientes de trabalho. A partir desse diagnóstico do ambiente laboral, procede a indicação e implementação dos respectivos equipamento de proteção coletiva (EPC) e equipamento de proteção individual (EPI) necessários.

Ao mesmo tempo, deve ser preparada cuidados orientação para os colaboradores da empresa. Vistorias frequentes permitem avaliar as condições ambientais e a utilização correta dos equipamentos de proteção.

Como se viu, doença do trabalho e doença profissional são ocorrências que podem surgir em qualquer empresa e dependem da boa avaliação e medidas preventivas relacionadas ao ambiente de trabalho.

Aproveite e conheça esse guia completo sobre PPRA e PCMSO para sua empresa.