O diagnóstico preliminar dos riscos ergonômicos: muito além do “Sim” ou “Não”