As campanhas que associam um mês e uma cor a uma determinada condição de saúde têm sido muito eficientes e bem recebidas. É o caso do Fevereiro Roxo, que aborda 3 importantes doenças que afetam milhares de pessoas em todo o mundo.

Essas doenças apresentam duas coisas em comum: não têm cura e reduzem significativamente a qualidade de vida da pessoa. Por isso, sua identificação e tratamento são tão importantes para amenizar as condições que provocam e trazer um pouco mais de conforto.

Continue a leitura e descubra como engajar os colaboradores na campanha do Fevereiro Roxo.

O que é o Fevereiro Roxo?

Existem 3 doenças diferentes cujas causas ainda não são confirmadas, fazendo com que suas origens sejam inconclusivas. No entanto, todas elas afetam a qualidade de vida do indivíduo e não oferecem solução de cura. Essas doenças são o Mal de Alzheimer, o Lúpus e a Fibromialgia.

Uma vez que não apresentam cura, busca-se a convivência com o maior conforto possível. A campanha Fevereiro Roxo surge com o objetivo de despertar a população para a conscientização da existência desses males e, sobretudo, para a realização de exames que permitam sua identificação tão precocemente quanto possível.

Nesse sentido, o esforço da empresa para o engajamento de seus colaboradores será de grande valia para toda a equipe, assim como para seus familiares. Nessa direção, é preciso conhecer um pouco mais sobre cada uma das doenças e suas principais manifestações.

Mal de Alzheimer

O nome dessa doença homenageia o psiquiatra alemão Alois Alzheimer que a descreveu no ano de 1906. Trata-se de um distúrbio neurovegetativo que atinge principalmente pessoas idosas, mas não se limita a elas, levando à perda da memória recente e à falta de coerência na fala.

A evolução da doença se faz de maneira lenta e gradual (“vai piorando”), sempre que novas regiões do cérebro são atingidas. No entanto, medicamentos específicos e terapia apropriada podem minimizar seus efeitos e retardar o desenvolvimento. Por essa razão a importância de um diagnóstico precoce.

Um aspecto essencial na condução dos casos de Mal de Alzheimer é a presença de atenção e de cuidados da família, uma vez que a perda da autonomia é uma das principais consequências. Assim, a conscientização e a informação tornam-se indispensáveis para a identificação e para a condução de cada caso.

Lúpus

O nome completo da doença é Lúpus Eritematoso Sistêmico (LES), uma doença inflamatória autoimune, o que significa que é induzida pelo próprio sistema imunológico da pessoa. Pode afetar diversos órgãos e tecidos, especialmente a pele e as articulações, mas também rins e cérebro, entre outros.

O Lúpus provoca fadiga na pessoa, além de febre e dor nas articulações. Sua manifestação se dá em pessoas de qualquer idade e sexo, com predominância entre aquelas com idade entre 20 e 45 anos. Uma de suas características mais marcantes é o aumento da sensibilidade da pele ao sol. Assim, áreas do corpo expostas diretamente à luz solar podem se apresentar com manchas e placas vermelhas, principalmente rosto, nuca e couro cabeludo.

A identificação da doença se faz por meio de exames clínicos e laboratoriais. Nos exames, é possível detectar-se autoanticorpos, alguns específicos e outros indicativos da possibilidade. O Lúpus é uma doença crônica (permanece ao longo do tempo), mas que pode ser tratada levando à redução dos sintomas e melhorando a qualidade de vida. Assim, sua detecção permite já iniciar as medidas de controle levando à redução do desconforto.

Fibromialgia

A Fibromialgia também é uma doença autoimune que atinge principalmente as articulações de pessoas entre os 30 e os 60 anos de idade principalmente, mas pode surgir mesmo na infância. No entanto, as dores que provoca podem ocorrer em qualquer parte do corpo, com predominância nos músculos e tendões, inibindo qualquer prática física.

Além das dores, que podem durar por meses seguidos, costuma-se observar um cansaço intenso e alterações nas condições do sono normal da pessoa. Dessa forma, ansiedade e depressão também constituem sintomas observados normalmente associados às dores.

Também no caso da Fibromialgia, sua detecção permite a adoção de tratamento adequado que pode reduzir significativamente os sintomas. O uso de medicação apropriada e terapias como acupuntura e fisioterapia costumam fazer parte do tratamento.

Qual a importância da participação da empresa?

Existem alguns aspectos que tornam a participação da empresa nos trabalhos de conscientização de elevada importância para os colaboradores e suas famílias. O primeiro que se destaca é a relevância de se conseguir um diagnóstico precoce e, para isso, é preciso estar consciente da possibilidade de ocorrência dessas doenças.

Outro fator de grande importância é o despreparo da família para lidar com qualquer dos casos abordados pelo Fevereiro Roxo, o que pode tornar o quadro ainda mais difícil. Assim, educação e acolhimento são essenciais e a organização tem um relevante papel ao implementar o programa junto aos seus colaboradores.

Ao mesmo tempo, os trabalhos de conscientização junto aos trabalhadores aumentam o reconhecimento dos cuidados promovidos pela empresa junto à sua equipe, como fazem outras práticas para promoção da saúde. Em especial, para aqueles que, porventura, diagnosticarem casos junto aos seus familiares.

Assim, a participação nesses programas que associam situações de saúde ao mês em curso e a uma determinada cor possui um caráter social de grande significância que não pode ser desconsiderado. A imagem da empresa também é reforçada como agente proativo da qualidade de vida de seus colaboradores.

Que ações podem ser tomadas para a implementação?

Uma vez conhecidas as doenças referidas no Fevereiro Roxo e a importância de sua adoção pela empresa, resta conhecer as principais ações que podem ser tomadas para sua realização. A equipe de saúde ocupacional tem relevante papel nesse momento. Assim, considere as dicas seguintes de possíveis iniciativas, entre outras:

  • promover palestras educativas – com pequenas equipes, podem ser presenciais e, em outros casos, lives rápidas são importantes formas de comunicação e mobilização;
  • incentivar a realização de exames preventivos – as abordagens devem direcionar os colaboradores para a importância da realização de exames preventivos, capazes de diagnosticar a presença das doenças em pessoas com sintomas pertinentes;
  • instalar banners referentes à campanha – planejar uma comunicação visual pode oferecer bons resultados principalmente se envolver os próprios colaboradores;
  • fazer uso do e-mail institucional – o e-mail da empresa pode ser utilizado para difundir a ideia e promover a campanha;
  • fazer uso da cor roxa – instale nos quadros de aviso e em locais visíveis fitas de cor roxa, lembrando e associando à campanha.

Como se vê, o Fevereiro Roxo é mais uma importante campanha com a qual a empresa (principalmente o setor de RH e de saúde) deve se envolver. Além disso, precisa engajar os seus colaboradores, em razão dos benefícios que oferece para todos, empresa e trabalhadores.

Continue conosco em nossas redes sociais — estamos no LinkedIn e YouTube.